Amor extremo

Talvez os animais amem. Talvez. Mas os homens não. Nem as mulheres. Seres humanos não amam e nem vão amar. Amar é muita coisa. Amar é demais pra gente. Na história da humanidade nenhum homem conseguiu amar até hoje. Nós tentamos amar. Queremos amar. Amamos as consequências de nossas tentativas frustradas de amar. É prepotência humana querer amar. Quem somos nós pra amar?

O amor não pertence ao nosso mundo. Não toca no mundo. Aliás, ele encosta no mundo, mas encosta como sugestão de amor, nunca como amor em si. O que existe no mundo é a sugestão do amor, o projeto do amor, o planejamento do amor, o plano de amar, a esperança de amar, a expectativa de amar. O amor em si está numa margem outra. Nossa condição humana é o suficiente pra não podermos alcançá-lo.

O amor é absoluto. Por isso a razão cancela automaticamente qualquer possibilidade de acesso ao amor. E isso não é triste. Isso é lindo. Isso é romântico no sentido verdadeiro da palavra. É, de certo modo, gratificante ver que o amor permanece blindado, intacto, ininvocável. Seres humanos não têm tamanho, grandeza, plenitude, pra amar. Não sustentam o amor. Nós não sentimos amor. Chamamos de amor o sentimento de frustração pela tentativa de amar. É impossível amar de fato.

14 comentários:

Nigelly Fernandes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nigelly Fernandes disse...

Você afirma isso porque não é mãe! rs Tenho três filhotes lindos e tenho certeza absoluta que o sentimento que tenho por eles e eles por mim... É AMOR! Exatamente da maneira como você descreveu.. rs Mas vendo por um lado romântico.. homem e mulher... aí realmente! O ser humano passa longe... rsrs

Carolina Custódio disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Prof. Didone disse...

Desculpe-me pela sinceridade, há uma total falta de fundamento neste texto. Concordo com a Nigelly aí em cima. As afirmações feitas a cerca do amor são muito parciais e destorcidas, o que seriam plausível uma vez que o texto expressa sua opinião, mas ao se referir a um sentimento universal não se pode ser tão leviano. Você se refere a inexistência do amor, mas nem se quer cita de que amor está falando. O que vc realmente considera amor? Diante de tantas manifestações a olho nú do amor sendo manifesto no mundo como vc tem a coragem de afirmar tamanha insanidade?
Recebi indicação deste blog e lerei os outros textos na expectativa que serão um pouco mais sensatos.
Joel Didone

Squizo disse...

Ja escrevi algo muito semelhante.
A Deus o que de Deus, e a Cesar o que é de Cesar.
Nossa amor é ''Cesariano'', o outro está além de nós.
Abraço Ret.

Juninho Marcondes disse...

O amor é absoluto. O ser humano não é absoluto. Nós mudamos de opinião sobre tudo (sobre sentimentos principalmente) de acordo com as circunstâncias. Á partir do momento que percebemos em que as circunstâncias não estão nos favorecendo, tentamos e conseguimos mudar nossa visão sobre tudo (como nossas tentativas de amar) porque possuímos o limite da memória, só "amamos" aquilo que ainda percebemos o que é e que essa percepção nos seja agradável, o que não nada absoluto.

Rubens Sampaio disse...

Interessante.

Escrevo sobre filosofia sob os aspectos mundanos em meu blog!

A Filosofia em Alma.

blogdorob disse...

Duvido que nunca se irritou com seu filho nem por um momento, duvido que não gritou ou esbravejou, acho que nesses momentos o amor nos deixa, amar a todo instante é loucura .
Nois tentamos amar!

Gabriel fut.rap disse...

Tenho concordância ao ret, quantas veses uma mãe se arrependeu de ter um filho, por ele ter vindo e está fazendo coisas erradas ou desobedensendo ela em quase tudo.
As veses a preferencia dos pais e que o filho fique trancado em casa desprotegido, enquanto eles vão atraz de curtição.
Ou o filho com seus pais, quantos de nos ja falamos baixinho disendo que ele(a) eo pior pai ou mãe do mundo.
Diz que ama seu filho e faz tudo por ele, porque e seu dever fazer isso, nao faz por amo, e uma obrigação de cuidar dele(a) por ter colocado no mundo.
Amor ea palavra mais atrita desse mundo.

Rodrigo Ferrari disse...

FODA ! Seus textos e musicas me fazem refletir pra caralho, e eu acho isso muito daora. Abraço Ret

Nigelly's Place disse...

Mãe que faz tudo pelo filho pq eh obrigação? Quem disse que eh obrigação ? Conheço várias, que tem seus filhos e deixam-nos para serem criados pelos avós.. Ou deixam em orfanatos, com tios, parentes... Tem mãe que larga seus sonhos para criar seus filhos .. E te garanto, não eh por obrigação não ... O nome do sentimento que move isso tudo , eh amor! Claro q para "toda regra há sua exceção"..

Eduardo Soares disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Conan, o Bárbaro disse...

Genial !

Gustavo Felippe disse...

Estou aqui em 2017.

Postar um comentário