Ensaio sobre Deus

Deus é o criador de tudo que há de mais lindo no mundo. Criou as maravilhas da Terra. Todas as belezas naturais. Desenhou as geografias mais fantásticas e as paisagens mais incríveis. As geleiras, as montanhas, os campos, o horizonte, os continentes – tudo foi criado por Deus. Ele não inventou apenas o dia, mas também a noite. Não engendrou somente o nascer do sol, mas também o pôr do sol. Ele não é só responsável pela existência dos animais, mas também pela existência dos homens. Isso sim é ser soberano. Deus criou o arco-íris, a aurora boreal, as ondas perfeitas do Havaí, os Alpes, a Cordilheira dos Andes, o Corcovado. Os maremotos, as tsunamis, os terremotos, as erupções vulcânicas, as tempestades e todos, absolutamente todos, os fenômenos da natureza. Vale lembrar que Deus é um conceito. E que aqui vou ensaiar alguns pensamentos sobre esse conceito, em seu ângulo mais popular.

Conceber Deus apenas em Sua forma bela é comum. É corriqueiro pensarmos num Deus exclusivamente do bem. Num Deus que pensa. Entretanto, ensaiemos juntos: se Deus pensa, Ele duvida. E se Ele duvida, Ele não é soberano. Se Deus pensa, inevitavelmente Ele acredita num deus maior que Ele para sustentar sua condição. E isso, automaticamente, já Lhe custaria Sua soberania. Portanto, não pensar é a prerrogativa para que Deus seja verdadeiramente soberano. Se Deus existe, Ele não pensa. Combinemos então, a partir daqui, que Deus não tem razão. Ele simplesmente é. Naturalmente é. Sem rótulos possíveis.

Nossa maior feiúra talvez seja insistir em vermos a vida de modo bipolar. Nossa pequenez talvez esteja em teimarmos em restringir Deus apenas a Sua dimensão justa, coerente e correta. Isso sim pode ser falso, injusto e descompensado. Se Deus é o equilíbrio de tudo, ele também é o “mau”. O mundo ocidental tem uma facilidade impressionante de entender o “mau” sempre de uma forma conspiratória, calculista e intencional. Mas esse “mau” vem de Deus e (como já combinamos) Ele não pensa no que faz. Se Deus é absoluto, só posso senti-Lo – sinceramente – em seu formato integral. Não consigo vê-Lo como um lado da moeda, mas como uma bola de gude inteira. Esférico, não chato.

Deus é simples. É essa natureza toda. Natureza bonita e devastadora. Natureza que não pondera. Cruel e bela. Ele é a pulsação desse imensurável organismo. Talvez Deus não queira salvar ninguém. Talvez isso não caiba a Ele. Talvez Deus queira somente Se salvar. E você, por algum motivo, está dentro Dele. O máximo que você pode fazer é se estruturar psicologicamente (seja lá como for) para o que pode vir a acontecer. E, claro, se antecipar aos possíveis problemas. Talvez nossos problemas não signifiquem tanto para Deus. Talvez uma Guerra Mundial seja uma simples coceira no dedão do pé Dele.

Deus tem que sobreviver. E se Ele tiver que escolher entre Ele Próprio e você, certamente, Ele optará por Ele Mesmo. Talvez a natureza de Deus seja sobreviver a qualquer custo. Mesmo que para isso, Ele tenha que sacrificar vidas, pessoas de bem. É da natureza de Deus sobreviver sem dar satisfação. Ele é assim. Não precisa dar explicações. Deus levou e continuará levando as pessoas que estão ao nosso redor. Talvez nossa estreiteza consista em pensarmos Deus pela metade. Talvez nosso delírio seja vê-Lo somente pela perspectiva que nos é conveniente.

1 comentários:

4i20UrSiiNhoOoO MV disse...

Ret , adimiro muito seu trabalho. Mais como cê fala de Deus sem ao menos conhecer . E a mesma coisa de querer julga alguém mais voçê não julgo ninguém voçê quis julga Deus o ser supremo ao qual ser humano nenhum tende en critica . Por quê se você respira ainda e tem esse dôm foi o qual ele te deu . isso tem quer usado para o bem . por quê ele sabe que voçê obra dele todos samos é isso vlw ret.

Postar um comentário