Victor e o adesivo

Victor enxergava a palavra como um adesivo. Adesivo que poderia colar em qualquer significado. Um dia, Victor pegou o adesivo “deus” e colou num significado muito especial para ele. Victor guardava este significado - com a palavra “deus” muito bem colada - num lugar bem escondido. Victor não deixava ninguém se aproximar deste significado.

Desde as pequenas discussões na escola, Victor debochava dos colegas que optavam em colar o adesivo “deus” em significados comuns. E sempre evitava falar a respeito do significado que ele escondia. Não queria desgastá-lo, dizia pra si. Diferente dos seus colegas, Victor não atribuía tudo que acontece na vida a este seu significado. Segundo ele, se o seu significado significasse tudo, o mesmo passaria imediatamente a não significar mais nada.

Os colegas de Victor não entendiam aonde ele queria chegar com sua teoria que só ele entendia. Victor, no entanto, continuava debochando dos colegas que escolhiam colar "deus" em significados absolutamente comuns. Mas ele fazia questão de esconder o seu significado num lugar que só ele sabia que existia.

Não demorou muito e os coleguinhas transformaram Victor num significado e colaram a palavra “ateu” sobre ele. Victor achou o rótulo de seus colegas um tanto equivocado. Mas foi obrigado a respeitar. Hoje, Victor é um adulto. Continua com o antigo significado ainda muito bem conservado. Um dia, encontrou um dos seus antigos colegas da escola, e perguntou-lhe descontraidamente: “Olá! Como está seu significado do adesivo 'deus'?”. O velho colega mudou a expressão e respondeu que seu adesivo "deus" havia perdido a cola e que acabou perdendo seu significado, pois muita gente havia colocado a mão no mesmo significado para colar seus respectivos adesivos "deus".

1 comentários:

Mônica Bittencourt disse...

Muito bom esse texto, Ret!!

Postar um comentário