Um só caminho

Com uma toalha, limpava meu cordão de prata para sair à noite. Durante a limpeza, tive uma visão. Vi que o cordão ficava mais brilhante a cada esfregão que eu dava nele. "Lógico", pensei. E as aulas de física e química do colegial logo me assaltaram a mente.

Ao friccionar a toalha sobre o metal, deixamos-o mais bonito, vivo. E isso acontece porque agitamos seus respectivos átomos. E agora vou além. Se o átomo é a menor composição da matéria e nós somos feitos de matéria, somos, de certo modo, átomos também. Nosso corpo reflete isso. Após uma série de esforços físicos, nosso corpo aparenta estar mais enérgico, pulsante, energizado mesmo. É real. Quando movimentamos nosso corpo, ele ganha mais vida. O processo é químico.

Igualmente meu cordão, nós também brilhamos na medida em que nos movimentamos perante a vida. Não podemos esquecer que também somos pequenos átomos deste imenso universo. A ciência prova que nossa motivação, nossa energia interior, é capaz de agitar nossas moléculas e nos fazer "brilhar". Vibremos, movimentemo-nos, geremos luz. Façamos nosso Eu interior vibrar com força.

Eis uma fórmula científica (químico-física) para quem busca uma vida positiva. Esta simples mecânica de geração de energia a partir da agitação dos átomos me faz pensar que a “energia negativa” é um grande equívoco. Pois o que seria “energia negativa” senão a ausência de movimento, ou seja, ausência de energia? Portanto, só há um caminho, um "lado": o da energia. E se a energia é o parâmetro, a negatividade não existe, pois ela é precisamente o “nada”.

1 comentários:

Postar um comentário