Por mais interessância

As pessoas que considero interessantes, invariavelmente, são pessoas interessadas. Interessadas por aquilo que existe, por aquilo que há, por aquilo que são ou podem vir a ser. Interessadas, principalmente, por tudo aquilo que desconhecem.

Como é chata a previsibilidade do “não”. Como é chato estar em companhia de alguém que sempre nega o novo. Que só conhece aquilo que lhe foi imposto. Eu não gosto. Eu os evito. Aprecio a companhia de pessoas pré-dispostas a se debruçar ao inédito, a respirar novos ambientes, dispostas a ressignificar um antigo conceito. Interessante, pra mim, é alguém que busca novos ângulos de uma mesma idéia. Porque sabe que as idéias são esféricas.

Assim como o fogo precisa de oxigênio, sem ventilação nossa áurea some. Aumentemos nossa superfície de contato com o mundo. Circulemos por novas pessoas, novas amizades, novos lugares, novas músicas, novas cores, novos amores. Se a novidade é um passo ao desconhecido, ele também é um colorido de possibilidades.

Às vezes, a alegria de algumas pessoas me deprime. Aquela alegria de quem só escuta música antiga, de quem só assiste o mesmo canal de TV, de quem compra o mesmo tipo de roupa, de quem tem medo de jogar coisas velhas no lixo. A repetição dos costumes gera câncer de espírito.

Interessante é a inteligência. E eu não acredito nas inteligências herméticas. Uma inteligência anti-social não me parece muito inteligente. Acredito na inteligência viva, enérgica, que se rende ao momento, que se entrega ao agora. Que observa e se adapta às mudanças, à natureza e à dinâmica da sociedade.

Até que me provem o contrário, interesso-me por todos. Sem exceção. Todos estão dentro de mim. E há um pouco de mim em todos. Interesso-me, sobretudo, por tudo aquilo que pode vir a corromper-me. Qualquer ser humano, minimamente interessante, deveria saber que aquilo que à primeira vista não o interessa deveria ser - imediatamente - a primeira coisa que lhe gera curiosidade.

2 comentários:

Bruna Cordeiro disse...

Adoro esse!

Igordinho disse...

^Às vezes, a alegria de algumas pessoas me deprime.^

Meio arrogante...mas muito verídico!

Postar um comentário